Pulseiras do Sexo - Um alerta




A febre entre crianças e os adolescentes agora é o uso das pulseiras de  plástico coloridas. Na maioria das  vezes elas usam por causa da moda, mas infelizmente parece que não é só com essa finalidade que as pulseirinhas estão sendo usadas.
Minhas filhas chegaram em casa usando, e na escola  delas, as opiniões se dividem, alguns não acham nada de mais e continuam usando, outros mais receosos preferem não usar.
Aqui em casa eu não precisei proibir, elas mesmas decidiram não  usar, mas fiz questão de conversar com elas, afinal, o diálogo com os filhos é fundamental nessa hora.


Bem, pra esclarecer melhor este assunto, segue abaixo uma reportagem do Site do Colégio Militar de Porto Alegre e gazetaonline





Abraços!


Flávia








Os mais atentos já notaram que adolescentes vêm incrementando o visual com mais um item: uma colorida pulseira de plástico. O objeto parece inocente. Mas, na realidade, é um código para experiências sexuais, onde cada cor significa um grau de intimidade, desde um abraço até o sexo propriamente dito.

As pulseirinhas de silicone, agora promovidas “a pulseiras do sexo”, geraram o maior burburinho desde que começaram a aparecer. Alguns nem imaginam do que se trata. A moda, iniciada na Inglaterra, se disseminou pelo mundo, principalmente via internet, e é febre também dentro das escolas.

Quem usa as pulseiras está automaticamente participando de um tipo de jogo (o Snap), que funciona assim: uns tentam arrebentar a pulseira do outro. Aquele que consegue ganha o direito ao “ato” ao qual a cor da pulseira corresponde. As “prendas” vão desde um carinho até uma atividade sexual.

Alerta

Há pais que já ligaram o sinal de alerta. E muitos ficam chocados quando descobrem que a pulseira usada pelo filho serve para esse tipo de “brincadeira”. “Quantas mães não sabem do significado dessas ‘inocentes’ pulseirinhas e estão deixando as filhas e filhos usarem? Os pais precisam tomar uma atitude”, desabafou a mãe de um adolescente de 12 anos que usa várias pulseiras.

A psicóloga Adriana Müller acredita que, para os pais, o melhor nessas horas é um diálogo franco com os filhos, explicando a eles os perigos associados a essa brincadeira. “Eles devem comparar esse problema com os valores defendidos pela família e criar limites para seus filhos”, aconselha. (Vitor Ferri)

2 comentários:

Anônimo 2 de dezembro de 2009 16:07  

Achei muito importante, e oportuno a reportagem.
Fiz uma cópia e mandei para a escola onde minha neta de 11 anos estuda.

Anônimo 8 de março de 2010 14:24  

Bem interessante essa reportagem,mas acho que é só um negocio para os adolescentes começarem a se relacionar mais,só que deveria ter uma certa idade própria pra alguns adolescentes usarem..?!

Postar um comentário

Deixe sua opinião, comentário, perguntas e dúvidas que responderei aqui mesmo assim que puder!
Beijos!

Participe da Enquete!

Para responder a enquete você pode primeiro fazer o quiz da revista Época em:

http://editora.globo.com/pesquisas/quiz_epoca_070907.htm

A relevância desta enquete não está em se é bom ou ruim ser um nativo ou imigrante digital, mas em se procurar entender a participação de professores e alunos nesta realidade a fim de que possam encurtar a distância entre ambos.

Você se considera NATIVO ou IMIGRANTE DIGITAL?

Quem sou eu

Minha foto
Estudante de pedagogia. Uma pessoa alegre, romântica, sonhadora, determinada que luta por seus objetivos. Que gosta de passear, de ouvir música, andar de bicicleta, que ama a Deus e a família.

Sobre este Blog

O Espaço Pedagógico é um local para interação e troca de saberes sobre a área pedagógica. Aqui também farei a exposição de algumas experiências das oficinas e estágios que eu participar.
Não esqueça de deixar sua contribuição comentando as postagens do blog.

Flávia


SOBRE AS POSTAGENS E IMAGENS DO BLOG

Caros Leitores,

Todas as postagens são de minha autoria, entretanto vocês poderão encontrar trechos de livros e sites onde SEMPRE cito a fonte. Caso seja encontrado alguma postagem sem os devidos créditos, por favor peço que me comuniquem para que eu possa fazê-lo.
Quanto as imagens e fotos, gostaria de esclarecer que todas são com fins puramente educacionais e didáticos, algumas de meu arquivo pessoal. Não há intenção de identificar pessoas, adultos ou crianças, apenas revelar atividades e experiências que possam servir de apoio à área educacional.
Quaisquer dúvidas me coloco a disposição para esclarecimentos.

Obrigada!

Flávia

Seguidores

Facebook